segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Luxação acrômio clavicular

MEDICINA

Luxação acrômio clavicular

Por Breno Schor (médico da seleção brasileira de judô)

O que é uma luxação acrômio clavicular e como ela ocorre ?

No judô uma das lesões mais freqüentes no ombro é a luxação acrômio clavicular, que é o deslocamento da articulação entre a clavícula (osso anterior do ombro) e acrômio ( osso que faz o teto do ombro ) –vejam a descrição na figura 1 e 2





Essa lesão ocorre principalmente nos traumas diretos com o ombro no solo (“queda de bico” nas pontuações de Yuko) e fazem com que os ligamentos que unem a clavícula ao acrômio sejam rompidos. Essa articulação é fixada por 6 ligamentos , sendo os mais fortes os ligamentos anteriores ( córaco claviculares) e nos traumas mais fortes podem ser lesionados.

A luxação acrômio clavicular pode ser tratada sem cirurgia nos casos mais simples, onde haja um número menor de ligamentos rompidos e uma separação menor desta articulação .

Visualmente a clavícula fica saliente no ombro e a ponta desta , permanece bastante dolorosa, o exame escolhido para o diagnósico é a radiografia (RX) dos dois ombros , para comparação de um lado com o outro ou a ressonância Magnética.

No tratamento clínico, o atleta deve ser imobilizado com tipóia por 1 a 3 semanas e utilizar gelo e anti inflamatórios.
Nos traumas maiores e que a separação da articulação é muito grande , o tratamento escolhido é a cirurgia.
Na cirurgia, realizamos a reparação e reconstrução dos ligamentos anteriores (córaco claviculares) e reparamos os tecidos musculares que são rompidos no trauma.

Esse tratamento é realizado, por via artroscópica (utilizando vídeo e instrumentos especiais) , para que não haja lesão do músculo deltóide ou por via aberta (cirurgia convencional) com excelente resultado nas duas técnicas.
Os atletas devem permanecer imobilizados com tipóia por um tempo médio de 4 semanas, e o retorno aos treinos após 3 meses.

Após o período inicial de imobilização é muito importante que seja realizado o tratamento em uma fisioterapia especializada.

Os exercícios específicos do judô (Utikome) são iniciados entre a nona e décima segunda semana pós cirurgia e o treino de Luta (Randori) é liberado depois de completar 3 meses.

O cuidado imediato desta lesão é importante, pois quando ela não é tratada adequadamente o atleta evoluiu com dor (artrose / desgaste da articulação ) e com perda de força, o que interfere muito na performace durante os treinos e competições.

Bons treinos !!

Um comentário:

Anônimo disse...

MUITO BOM DOUTOR! DEU PARA ESCLARECER MINHA PESQUISA PARA ENTENDER UM POUCO A MINHA DOR NO MEU OMBRO. NÃO PRÁTICO O JUDÔ E SIM VOLEIBOL, PORÉM ESTOU COM DORES, CREIO EU, NO ACRÔMIO.